Tendo como vizinhos os bairros de Santa Rosa, Fonseca, Viçoso Jardim, Ititioca, Fátima e Pé Pequeno, o Cubango desenvolve-se no interior de um estreito vale que é cortado pela rua Noronha Torrezão, a sua principal via.

A denominação “Cubango” deriva do Indígena u-bang, cujo significado seria “terras escondidas”. Com o passar do tempo veio a dominação portuguesa, que transformou o local em ponto de comercialização de escravos negros onde hoje é a localidade conhecida como “Venda das Mulatas”, no limite com Viçoso Jardim. Presume-se que os escravos seriam provenientes de Angola e adaptaram o indígena u-bang para Cubango, nome de um rio daquele país, ficando assim nominado o lugar a partir de então.

Antes de ser loteado, já no presente século, o bairro era composto por quatro fazendas produtoras de hortaliças. Segundo os moradores mais antigos, notava-se que até 1950 havia uma predominância de população negra, sendo o Cubango um bairro originalmente proletário, onde destacavam-se os operários que trabalhavam nas indústrias do Barreto, Santana e nos estaleiros da Ponta D’Areia.

Na década de 50 o bairro era servido por uma linha de bonde e começou a receber algumas melhorias como água, esgoto, asfalto e, posteriormente, iluminação a vapor.

A partir dos anos 70, o Cubango passou a arregimentar uma população cada vez maior de classe média, fruto da provisão de habitantes pelo Sistema Financeiro (antigo BNH). Este processo vem modificando gradualmente o perfil do bairro. No dias de hoje são erguidos prédios modernos em meio ao casario mais antigo; o comércio está diversificando-se e começam a aparecer alguns tipos de serviços voltados para a população de melhor poder aquisitivo.
Em contrapartida, surgiram núcleos de favelização como os morros do Arroz, do Serrão, do Abacaxi e do Querosene. Nestas áreas as habitações, embora sejam de alvenaria, possuem um padrão construtivo considerado precário, com ausência de infra-estrutura básica.

CARATERÍSTICAS ATUAIS E TENDÊNCIAS:

O comércio do bairro atende apenas às necessidades básicas da população e concentra-se na rua Noronha Torrezão, onde predominam pequenas mercearias, farmácias, padarias, lojas de materiais de construção e até concessionárias de automóveis. O setor industrial é representado por duas serralherias e uma fábrica de esquadrias de alumínio.

Quanto aos meios de transporte, não há grandes reclamações da população em relação a esses serviços. O principal problema viário do Cubango são os constantes congestionamentos na rua Noronha Torrezão, em virtude desta via ser utilizada como corredor viário para o Fonseca e as regiões de Pendotiba e Oceânica, sobretudo nos horários de maior fluxo de veículos.

Quase todas as ruas do bairro são pavimentadas, o que se deve, principalmente, ao empenho de suas entidades associativas, especialmente o Centro Pró-Cubango, fundado em 1951 para reivindicar melhorias como iluminação, água e calçamento. Serviços que eram deficientes ou não existiam até a década de 50.

Atualmente, o serviço de abastecimento d’água atende a mais de 90% dos domicílios (IBGE – 1991). Nas localidades mais elevadas é comum o uso de nascentes e poços.

A coleta de lixo é executada na quase totalidade do bairro, mas em alguns pontos de difícil acesso verifica-se o acúmulo de lixo em terrenos baldios e encostas.

No Cubango não existem unidades de saúde. Quanto aos equipamentos públicos presentes, destacam-se a Escola Estadual Doutor Memória e a Escola Estadual Ismélia Saad Silveira, ambas de 1º Grau. Ainda assim, muitas crianças da comunidade estudam no CIEP Anísio Teixeira, situado no bairro do Fonseca.

Segundo os seus moradores, o Cubango é um bairro tranqüilo, sendo o policiamento executado pela Delegacia do Fonseca.

Entre os principais problemas ambientais podemos destacar o risco de deslizamentos em algumas encostas, propiciado pela ocupação irregular em áreas inclinadas e acúmulo de lixo nas vertentes; e também a poluição do riacho que corta o bairro paralelamente à rua Noronha Torrezão, que ainda não foi totalmente canalizado, recebendo lixo e uma parte do esgoto doméstico do Cubango.

Vale citar que o bairro possui como alternativas de lazer a quadra da Escola de Samba Acadêmicos do Cubango e a sede social do Centro Pró-Cubango, entidades que exercem importante papel na comunidade. A escola de samba é uma importante área de lazer freqüentada por grande parte da população, sendo que no período de Carnaval, cerca de 75% dos seus foliões são moradores do bairro. O Centro Pró-Cubango, que já teve importante papel como entidade reivindicatória, hoje funciona como centro social.

One response to “Cubango”

  1. eu queria saber se vai abrir um colegio toudor memoria em pendotiba

    Reply

Leave a Reply